domingo, 17 de dezembro de 2017

Alfabetização em turma multisseriada


  No início do ano quando peguei a turma multianual (1º, 2º e 3º ano de escolaridade) me assustei um pouco! 

  Tudo era novo, os desafios muitos e eu tinha receio de não fazer um bom trabalho.

  A sala quase pronta... Mas faltava algo... 




  Comecei a pensar numa ideia, um projeto que pudesse unir três turmas em uma, motivá-los e despertar o interesse pela aprendizagem da leitura e da escrita, primordial no ciclo de alfabetização.

   Turminha com 23 alunos, um primeiro ano lendo tudo, mais da metade do segundo em fase pré-silábica e um terceiro ano mediano. 

  Eu precisava de algo genial! Então lembrei do projeto, muito conhecido e que eu já havia feito há alguns anos.

  O aniversário do Seu alfabeto!!! 


Aqui ele ainda está em fase de preparação!
                                                
 



  Levei o boneco para sala dentro do baú da leitura e logo os pequenos do 1ºano se encantaram. Em pouco tempo todos queriam passar a aula ao lado dele.



    A proposta era que a cada final de semana uma criança o levasse para casa. Junto com o boneco ia uma maleta especial com CD da música "As letras falam", ótima para trabalhar fonemas, um alfabeto móvel, lápis de cor e um caderno para registrar o final de semana de aventuras.

                                     

   Logo no início das aulas trabalhei identidade com a turma e foi um excelente momento para escolhermos um nome para nosso novo amigo, afinal todo mundo tem nome e sobrenome! 

  Fizemos por meio de uma votação:


 Depois de motivá-los, despertar o interesse deles, encantá-los com o boneco e com a música linda sobre o alfabeto, iniciei o trabalho com os fonemas.

  A primeira foi a letra J, por causa do nome escolhido. Para o primeiro e segundo ano meu foco era alfabetizar e consolidar; para o terceiro era ortografia, trabalhei uso do J e G nas palavras. 

  A partir daí não paramos mais.... E eles cada vez mais encantados! Os 23 viraram 28 e nós continuamos...


   Tudo começa no afeto, no ato de afetar o outro positivamente. Se você não cria um laço, um vínculo antes do ensino formal, vai ser apenas uma transmissão de conhecimento. Quando você os faz sentir parte, eles realmente assumem esse sentimento de pertencimento e o que é vêm deles daí pra frente só pode ser o melhor! 

  Eu tive muitos bons resultados por meio desse projeto norteador, principalmente com o segundo ano, agora tenho apenas um aluno  em nível pré-silábico, mas infelizmente há outros fatores envolvidos, creio que vai demorar, mas ele chega lá também.

  Mas um dos momentos mais especiais foi quando essa gatinha trouxe seu texto, em três meses ela avançou muito mais do que eu podia esperar. Mesmo com a necessidade de acompanhamento fonoaudiológico, ela entendeu que era capaz! 
 
O PORCO É MAMÍFERO (E O PORCO), A LIÇÃO DELE É FICAR GORDINHO.
(O PORCO) UM PORCO FICOU MAGRELO E TIROU NOTA D.

TIROU NOTA D, ELE FICOU MUITO MAGRELO E O PORCO FICOU TRISTE.

O CAVALO É MAMÍFERO E O CAVALO É O PASTO DO CARRAPATO (E O CAVALO), 
O CARRAPATO FICA FELIZ NO CORPO DO CAVALO.

VIVE FELIZ PARA SEMPRE.

Esse havia sido seu primeiro texto... 
A cada semana trabalho uma leitura com eles e uma produção textual com base no texto usado.





   
   Uma das muitas conquistas que tivemos e que me enchem de orgulho!!!  

   Então o ano passou, em outubro todas as crianças já tinham levado o boneco para casa, teve criança  que dormiu agarrada, que levou pro mercado, que brincou de cabaninha...

  Mas eu ainda não tinha lido o livro com eles, deixei para o final, como encerramento.



  Foi mais uma oportunidade de trabalhar palavras, aproveitei o enredo do livro para refletir sobre uso do RR e SS. 

  Dia da festa marcada no calendário, convites prontos e enviados, mães colaborando, assim como havíamos conversado na primeira reunião de pais!  Só podia ser um sucesso a nossa festa! 

  Passei a semana organizando tudo e valeu a pena!!! Como valeu!!!



Painel, lembrancinhas, bolo... Tudo pensado com simplicidade e carinho...





 

O rostinho deles chegando na festa foi ótimo!!! 


   E eu só posso agradecer a toda a equipe da escola que sempre embarca comigo nessas aventuras gostosas! Sem eles não teria ficado tão maravilhoso!!!



   Eu não sei se ano que vem Seu João Alfabeto vai precisar me ajudar de novo, mas sei que posso sempre contar com ele!!! 

   De verdade, se seu projeto é inovador ou antigo, se foi de uma revista e você adaptou, se a ideia é sua ou de uma professora especial que você conheceu... Não importa! Se você conseguir tocar o coração dos seus alunos com sua proposta e essência, você está no caminho certo!!! 

   Num constante aprendizado....

  Até a próxima!
  
  É sempre um enorme prazer ter vocês aqui!!!

  Nós agradecemos de coração!!!

domingo, 8 de outubro de 2017

Sorteio para comemorar o dia dos professores


Num constante aprendizado estará sorteando um livro em comemoração ao dia dos professores!
Não fique de fora dessa! Conhecer é o caminho para transformar!!!
Acesse o link e participe: Quero participar do sorteio!!!




Visite, curta e siga com a gente Num constante aprendizado!!!
Boa sorte!!!

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Bichos malucos - Projeto Trilhas na sala de aula

                  

 Há um tempo eu já utilizava o Trilhas no atendimento individual, agora quero levá-lo para sala de aula.

 Para usar com toda a turma é preciso adaptar as propostas e é isso que venho compartilhar hoje: outras ideias de como trabalhar os jogos com toda a turminha. 

 O importante em todo jogo é ter as regras bem definidas e manter a organização dos pequenos, assim garantimos um momento satisfatório de aprendizagem.

 No jogo bichos malucos, você pode distribuir uma ficha para cada aluno, sem que eles possam vê-la.


 Ao sinal de largada eles têm que procurar o par correto do bicho. Assim, se familiarizam com o jogo. Você pode registrar com eles os nomes dos animais no quadro, cartaz, em ordem alfabética, fazer a letra inicial. Isso vai depender do nível de escrita da sua turma.

                                  

 Na segunda rodada, já com suas metades nas mãos, eles terão que procurar um par diferente, criando assim, um bicho maluco. 

 Eu gosto de deixar as crianças circulando pela sala em momentos assim, dá uma baguncinha básica, mas é ótimo.

 Ao final, com seus bichos malucos criados, eles podem pensar em novos nomes coletivamente e você pode registrá-los.  Também dá pra inventar histórias e registrá-las na produção textual. 


Aqui temos um tubaré e um jacarão!!!
                       
 Se gostou da ideia, compartilhe! Invente também suas adaptações e não tenha medo de tentar coisas novas! 

 Por que por aqui a gente tá sempre Num constante aprendizado!!!!

                                   
                                                          Até mais!!!

terça-feira, 25 de julho de 2017

Jogo de cartas



 Este jogo foi idealizado pela UERJ, uma professora nos repassou e está na página do facebook para baixar em PDF.

 Hoje estou compartilhando algumas sugestões de trabalho com o jogo: 

  • Teatro: neste exemplo você pode separar a turma em grupos de 4 ou 5 alunos. Eles retiram uma carta de cada monte e têm um tempo para elaborar um teatro com o personagem, sentimento, lugar e tempo em que ocorreu a história. Depois apresentam para turma. Ao final a turma escolhe a melhor apresentação e transforma em texto coletivo ou ilustração com escrita espontânea.

  • Produção individual: Cada aluno retira uma carta de cada monte, organiza uma história sequenciando os fatos e depois relata de acordo com o gênero escolhido. Como nas fotos: 







  • Mudando a história: neste caso você pode escolher uma história conhecida como "Os três porquinhos" e pedir para que reescrevam a narrativa mudando um aspecto. Caso você escolha o personagem, a criança retira uma carta do monte e de acordo com o que aparecer repensa o conto. Pode-se mudar, ainda, o lugar, o humor do personagem principal ou o tempo em que a situação ocorreu.

  • História maluca: essa pode ser feita na rodinha. Cada aluno retira uma carta. O professor pode começar a história e depois os alunos acrescentam uma parte do conto de acordo com a carta que retiraram, aumentando a cada rodada a história. Imaginação e criatividade em ação!

                                                  Até as próximas sugestões!

sábado, 22 de abril de 2017

Cores, formas, lateralidade e muita diversão




 Assim é o jogo Twister, uma ótima opção para trabalhar conceitos de forma lúdica e significativa.


 O jogo original é bem carinho... Então fiz esse com TNT, a roleta é de um molde da internet.


        


 É um excelente material que pode ser usado em qualquer ano de escolaridade, minha turminha amou! Só querem jogar Twister agora.


 Além do desenvolvimento da lateralidade,  integrando  funções motoras e psíquicas, o jogo colabora para a apreensão de regras. O aluno precisa esperar a sua vez, respeitar seu espaço e o do outro e, no caso da brincadeira em forma de "corrida", controlar a ansiedade, sabendo que nem sempre é possível ser o vencedor. 


                          



 Crianças também precisam aprender a se frustrar, a errar, a não estarem sempre certas. Isso faz parte da vida em sociedade e vai estar presente em sua vida escolar cotidianamente.

 Se essa aprendizagem ocorre naturalmente, temos menos crianças agressivas e autoritárias em sala, que se aborrecem por não terem seus pedidos aceitos e que não aceitam regras.

 Mas se chegam a nós sem esse senso, não podemos simplesmente ignorá-las.

 Tenho me assustado com as salas de aulas fechadas e os quadros tão cheios... Eu sei que fazer diferente cansa, exige mais do tanto que já fazemos, dos finais de semana que já abdicamos, mas são crianças... Criança ama pular, brincar, correr... Às vezes a gente esquece disso...

 Eu comecei numa nova turma semana passada, dei aula dois dias e as crianças perguntaram se eu não ia usar o caderno, se não iriam fazer dever... Às vezes até penso se eu que estou errada... Mas sei que não!

                                         

Também me bate aquele medo de vez em sempre, o cansaço e até um desanimozinho...

 Mas eu tô aqui, Num constante aprendizado, eu não deixo de acreditar e faço o possível para que dê certo!


  E eu sei que você também faz!

 Investir nosso tempo de aula com jogos, brincadeiras e atividades de integração é preparar a emoção deles e você pode acreditar  que aprender as letras vai ser bem mais fácil assim!!!


  Obrigada por estar por aqui e até mais!!!


domingo, 16 de abril de 2017

Tabuleiro da centena


 Este jogo é bastante conhecido. Na internet você o encontra confeccionado em vários materiais. Esse eu fiz com E.V.A, igual ao que vi na formação do PACTO.

                      

 Sempre uso com meus pequenos. Já fiz com a turma toda, em duplas, mas o ideal é realizar com um grupo menor. 

 Com ele você trabalha sequência numérica, antecessor e sucessor, ordem crescente e decrescente, o conceito de centena, dezena e unidade e o que mais sua imaginação permitir. 

 Uma das formas de jogar é distribuir o mesmo número de fichas para cada jogador ou dupla.

                     

 Eu inicio o jogo posicionando no tabuleiro três ou quatro "números coringas".

 A cada rodada o aluno precisa descartar suas fichas no tabuleiro, no entanto, ele só pode colocar as fichas que estão antes, depois, uma dezena acima ou uma dezena abaixo do número coringa. Como nesta foto:

                                                

 Conforme os alunos vão colocando suas fichas as possibilidades aumentam. Ganha o jogo quem encaixar todas as fichas no tabuleiro primeiro.

                         

 Sempre jogamos até encher o tabuleiro, assim todos têm a chance de completar o jogo.

                        
 É bem simples e fácil, as crianças gostam muito, principalmente pelo clima de competição.

 Já tive uma turma que apresentava muita dificuldade com a sequenciação dos números, então, no início, jogávamos com o apoio de uma tabela numérica completa.

  Ele pode ser usado para trabalhar como atividade de recuperação paralela.

 Na verdade, todo material pode, o que vai diferenciar é a forma de aplicação e seus objetivos.

 Este ano estou com dois alunos no 2º ano que não identificam os numerais até 10. Já jogamos, usei massinha, material dourado, pintamos e contamos várias vezes. 

 Não estava vendo resultados...

 Então fomos brincar de amarelinha, na escola temos uma em forma de tapete de E.V.A, eles têm que montar a sequência sozinhos, falar o nome dos números, pular no número que eu dito e por aí vai... Pra eles é só uma brincadeira, pra mim é uma forma de despertar o interesse deles por algo vêem desde que entraram na escola, mas ainda não fez sentido...

                        

 Tem dado certo, estamos indo bem até o seis, mas nós vamos continuar brincando!

 E, é claro, seguindo Num constante aprendizado!!!


 


Vem também!!!

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Jogo das mãozinhas


 A pequena ideia de hoje veio do PNAIC e é o "jogo das mãozinhas". Fiz o curso por três anos e aprendi muito durante as formações e trocas com colegas.

                                     

 No PACTO ele foi apresentado para trabalhar Matemática.

 Desde então, eu o utilizo de diversas maneiras e é isso que quero compartilhar hoje.

 Já comentei aqui no blog sobre ideias não serem engessadas e tem que ser assim mesmo! Quando temos um material podemos explorá-lo de várias formas e não apenas como dita o manual.

 No jogo cada aluno fica com uma mãozinha e tenta encontrar o que é ditado pela professora ou o resultado de algum cálculo, geralmente eu trabalho por grupos.

 Costumo pedir para colocarem a "mão na orelha", assim é honesto pra todo mundo!

                                     

 As respostas ficam na mesa e o mais ágil ganha a disputa! É bem divertido! Não adianta ser rápido só com as mãos, a mente precisa estar pronta também!

  • Em matemática, como sugerido na formação,  podemos trabalhar resultados de tabuada, cálculos mentais, antecessor e sucessor, centenas, dezenas e unidades, relação número/numeral.  Uma infinidade de objetivos!

                                 
  • Na área da leitura/escrita gosto muito de trabalhar identificação dos sons das letras (relação grafema/fonema). Uso com os alunos com dificuldade, de forma divertida vão estabelecendo essa relação essencial para  a alfabetização.


  • Também faço com desenhos, sempre desenvolvendo a consciência fonológica. Peço para pegarem a figura que começa com determinado som ou que termina, letra inicial, letra final, número de sílabas e por aí vai...




  •  Você pode ainda fazer um QUIZ sobre a matéria da semana, eles vão amar!!!

 Uma dica:  é bom plastificar para que possa durar mais. Eu faço isso com durex largo. 

 Outra dica: não é legal fazer com muitos alunos, já tentei e não deu muito certo! Rs

 E a última e não menos importante:  pode dar um pouco de trabalho, umas brigas e choros,  você pode ter que ajudar alguns pequenos a chegarem a resposta correta e, provavelmente, eles também podem discutir pelas cores das mãozinhas, mas não desista não! São crianças que precisam aprender sobre limites e respeito tanto quanto Português, Matemática e História. Certo?!!!

 Eu espero que seus alunos gostem como os meus gostaram!!!


Muito obrigada por passar por aqui!
 Até mais!!!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Uma nova e desafiante experiência



 Este ano tenho um grande desafio. Na verdade, todo ano temos. 

 Dar conta de uma turma com toda a sua individualidade e necessidades não é fácil. Então, posso dizer que este ano tenho 3 grandes desafios!!!´

 É a primeira vez que vou lecionar para uma turma multisseriada: 1°, 2°  e 3° ano. 

 A parte fácil é que todas pertencem ao ciclo de alfabetização. A parte difícil é todo o resto! Incluindo controlar minha ansiedade.




 O que será difícil é não deixar que uma turma avance em detrimento de outra e, é claro, alfabetizar.

 Lembrando que o termo não abrange, na prática, ler e escrever somente e nós sabemos disso.

  Mas como as aulas aqui no meu município só retornam em março, tive bastante tempo para me organizar.

 Planejamento e organização são essenciais para termos bons resultados!

 Primeiro pensei num sistema simples de cores. Cada turma será representada por uma. Assim como nos crachás: 

                                                    

 Segui a mesma marcação no quadro do comportamento, que também utilizo como chamadinha.


                                                                                


 Preparar os conteúdos anuais também é indispensável. No ciclo os conteúdos se repetem e vão se aprofundando em cada ano escolar. 

 Nos links você tem acesso aos conteúdos que vou trabalhar neste ano:

                                                          conteúdo programático 2º ano

                                                         conteúdo programático 3º ano


 Também organizei as atividades que fazem parte da rotina.

 O calendário não pode faltar! Este modelo esta disponível para impressão noBlog da Profª Ivani Ferreira.

                                                                

 Neste outro link você encontra algumas sugestões para tornar o trabalho com o calendário: uma prática diária .

 Fichas móveis com as atividades do dia para que eles possam acompanhar a passagem do tempo e  se organizar, também me ajudam muito!

    

Um cantinho de jogos e  leitura, além de  muito carinho e amor a espera deles!

               


 Compartilhem comigo suas experiências em turmas multisseriadas, vou amar saber e aprender com vocês!

 Por enquanto, fico na expectativa de que dê tudo certo pra todos nós!!!

 Durante o ano vou contando como está sendo, Espero vocês sempre aqui para continuarmos 


Até mais!!!